segunda-feira, 29 de setembro de 2008

"Prometo gerar mais empregos, porra!"

Durante o horário eleitoral
(após mostrar foto 3x4 do candidato sob uma mesa surrada, precedido de depoimentos dos pais. Sim, Mauro se acha o terceiro filho de Francisco)
"Pintava tumba de cemitério pra ganhar um dinheiro extra."

(durante transmissão de imagens de arquivo pessoal do candidato, a saber: uma gravação duma aparição dele e de sua família no programa da Xuxa)
"Este é Valtenir no programa da Xuxa, contando sua história de superação."

(candidato falando em frente a um fundo azul. Provavelmente a verba pra se digitalizar um fundo fora cortada pelo partido)
"Povo cuiabano, mais uma vez os poderosos tentam se manter no poder comprando pesquisas. Não acredite em pesquisas."

Durante debate do domingo passado
(dizeres antes de fazer pergunta a candidato)
"Antes da campanha, eu busquei o diálogo com os possíveis candidatos, já que meu nome para vice estava sendo cotado. Mas não consegui falar com ninguém do seu partido, candidato. Até tentei falar com Helinho (vice do sisudo candidato em questão, cujo partido recusou o diálogo), meu ex-aluno, mas sem sucesso."
(candidato se achando uma ilha de independência, achando que política se faz sozinho, replica)
"O PSOL não delibera com representantes das elites, dos poderosos como o senhor. Saibam que o partido dele está infiltrado na atual administração do governador por meio de vários cargos de indicação."

"Já que o candidato se gaba tanto da qualidade da água de nossa cidade, desafio o senhor a beber este copo de água do bairro 1o. de março."
(sim, o candidato desafiado bebeu)

(candidato enfurecido com acusações infames de seu adversário durante os programas eleitorais anteriores)
"O senhor atentou contra minha honra. Eu já provei com documentos sua falácia. Já provei que o senhor tira proveito de vítimas fazendo-as prestar depoimentos caluniosos."
(candidato replica, numa dose cavalar de cinismo)
"Caro candidato, eu não ia tocar nesse assunto hoje, mas já que fazes questão... tenho em mãos uma cópia dos autos do Tribunal de Justiça com informações 'interessantes' a respeito daqueeela ação trabalhista." (e começa a ler, de forma propositadamente delongada o cabeçalho, e lê o veredito. E isso porque não queriiiia tocar nesse assunto)
(candidato retruca)
"Pra começo de conversa, essa ação foi impetrada num tribunal de pequenas causas, fora do alcance da Justiça comum. O senhor não sabe o que diz."


Ah, a política é uma coisa linda. É uma obra-prima do humor involuntário. Tem sido a única merda que assisto na TV nas últimas semanas. E acreditem, meus amores: tem dias que lacrimejo de tanto rir. Passo mal em meio às gargalhadas ao ver candidatos esquecendo o que iam falar, com motes toscos, canastrices pra emocionar o público, esposa e amigos ao lado pra mostrarem ser gente boa, e propostas sem base. De antemão agradeço a essa gente toda por me fazer rir um pouco, depois dum dia de trabalho. Menções honrosas: Miron, Mazé, Casão, Julio Siqueira, Sgt. Demétrio, Rogério, Alencar do ferro velho, Mandioca, enfermeiros, PMs, pastores, homossexuais, idosos e professores candidatos em geral e todos os candidatos a prefeito, em maior ou menor grau. Meu muito obrigado. O poder de síntese de vocês me ensinou, mais do que nunca, que é possível ser engraçado quando se acredita falar sério. Aliás, uma observação: o presidente conseguiu uma façanha que ninguém conseguiu antes, creio eu: seus ministros viraram uma espécie de moeda de troca de cada candidato. Para as horas em que faltar criancinha e mãe solteira pra humanizar o candidato, basta colocar um ministro do governo Lula pra falar bem do candidato. É impressionante: todos os candidatos usaram esse recurso. O único que não se usou disso foi o candidato do PSOL, não principalmente pelo motivo óbvio de o partido ser um ninho de dissidentes do PT (e acreditem, isso não é motivo preponderante; todo mundo da oposição fez isso menos eles) e universitário brincando de líder sindical (talvez ambos sejam sinônimos, se pensarmos bem), mas também por causa do reduzido tempo de propaganda. Enfim, a política, nesse sentido, se aproxima cada vez mais do futebol: é uma caixinha de surpresas, tá cheio de caneleiro, de juiz ladrão... só faltou algo equivalente aos clubes europeus pra nos livrarmos de parte dessa corja de colarinho branco. Se nada disso o surpreende o bastante para que ainda consigas rir do cenário político daqui, finalizo com a seguinte lembrança: nosso estado é o único em que a justiça intervém para permitir a realização de rinhas de galo. Quantas analogias essa constatação permite...

domingo, 14 de setembro de 2008

Fulgencio Batista

Nome de um dos candidatos a vereador daqui da cidade. Homenagem involuntária ao presidente cubano derrubado pelo infame Fidel Castro? Com certeza. Brasileiro mal sabe o nome de seus representantes, que o diga os do restante da América Central.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Estudo de caso do Orkut (II)

* Foto povão: aquela que contém, no mínimo, mais de cinco pessoas. É tanta gente amontoada que esse tipo de foto se confunde facilmente com aquelas tiradas durante o corpo a corpo que os candidatos estão fazendo esse ano.
* Foto ensaio pra Playboy: a menina de sutiã em poses bovinas, com beicinho, cujas fotos compremetedoras daquela transa no banco de trás do Bentley do namorado vão cair na net, juntamente com um Print screen do perfil da gostosa...
* Foto churrasco na laje: aquelas tiradas em piscina, cachoeira, fundo de quintal e vários outros lugares focos de mosquito da dengue.
* Foto arroz de festa: aquelas em que os que aparecem na foto estão sempre de roupa social, com o convite de alguém que não pôde ir de última hora àquela festa de quinze anos.
* Foto tudo-menos-rosto: aquelas em que sai tudo. All-star, braço, perna, nuca, parte da orelha, menos o rosto. Bastante usada por meninas encalhadas. Não necessariamente gordas. Aquelas com teia de aranha em suas respectivas aranhas, que acham que chegarão a algum lugar ficando nos amassos com aqueles losers que tocam (quer dizer, eles tentam) em banda de garagem...
* Foto da infância: aquelas em que fica claro que o sujeito está estreando seu scanner novo.
* Foto espelho de banheiro: aquelas em que fica evidente que o dono da câmera ainda está dominando a função zoom do aparelho.
* Foto loja de conveniência: aquela em que alguém ficou apertado na balada e o carona teve que parar pro cara fazer o número 1 na sarjeta antes de comprar mais uma caixa de cerveja no posto mais próximo.
* Foto careta: qualquer uma daquelas tiradas em boate, com gente fazendo caretas em meio às luzes.
* Foto alcoólica: aquelas com gente montando pirâmides de cerveja. Ou com gente trôpega depois da pirâmide...

Leitura complementar: Classificados

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Estudo de caso do Orkut

A mediocridade sempre impera. Um certo site de relacionamento (é assim que a Grobo se refere ao Orkut) oferece uma penca de pequenos aplicativos web, entre jogos, testes e playlists (alguns bem interessantes), e o que as massas fazem? Popularizam o mais mongo deles, o Buddy poke. Triste. Agora ninguém mais deixa um oi ou puxa assunto via scrap: todo mundo prefere pokear os outros com aquelas animaçõezinhas 3D toscas (sim, se deram ao trabalho de criar um neologismo pra parada). É gente que cutuca, que beija, que soca, que faz cafuné... dá até pra organizar brigas por ele. Comece com um soco, siga com um chute... puta merda, coisa mais inútil. Até os trejeitos pessoais estão se virtualizando hoje em dia. Matrix made in Paraguay. Seria interessante, isso sim, uma versão politicamente incorreta do Buddy poke. Algumas sugestões abaixo para as mensagens possíveis:

* RiCaRdO_ está comendo Jessikah S2 [a namorada de seu melhor amigo];
* Filipe Muralha está treinando Jiu-jitsu na boate;
* Gatinha carente está se depilando;
* Jaum_Knabrava está tomando todas;
* Jaum_Knarava está vomitando no tapete;
* Carmona Nista está prestando uma homenagem a Camila *no scrap no add*;
* Gugu Santé está com herpes genital;
* Jessikah S2 está no Msn com PH Tripé [o melhor amigo de Ricardo_];
* Gatinha carente atingiu a velocidade 7 do créu;
* Alfredo D2 está de larica;
* Bruno TO VIAJANDO deu PT no carro do pai;
* Jessikah S2 disse a Gatinha carente que o pau de Ricardo_ é fino;
* Jessikah S2 e Gatinha carente vão ao banheiro juntinhas;
* Camila está com a menstruação atrasada;
* Felipe muralha espanca prostituta da Vila Mimosa;
* Ali Salim Mohamed explodiu mesquita sunita;
* John ligou para o Departamento de Imigração.

Pensem comigo: se já rola aquela farra na hora de a galera escolher a nacionalidade de seu perfil, simplesmente entraríamos num caos com uma versão dessas do Buddy poke. Entraríamos numa era em que aparências cairiam por terra e, virtualmente, todos poderiam ser vistos in loco. Um mundo equilibrado. Se não houvesse tanto brasileiro, bairrismos internacionai poderiam rolar como o das últimas frases acima.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Bloco de notas (XI)

_ Eu estava quase me redimindo com Stephen King depois de 1408, mas o nevoeiro... putz, e dessa vez nem dá pra apontar o dedo também pra direção; dessa vez o King refocilou na mediocridade sozinho. Assim, do ponto de vista da literatura, o ensaio tem lá seu valor, mas sua versão pra cinema não ficou necessariamente algo lá muito atraente. Autores eternamente overrated me cansam a beleza...
_ Porque jogos de luta clássicos têm essa cretina tendência de, ao serem convertidos para o formato 3D, atraírem personagens bizarros e jogabilidade pobre? Será que o realismo proporcionado por gráficos poligonais incute aos desenvolvedores uma espécie de licença poética -- aplicada aos games -- para criar personagens emos que parecem ter saído de filmes B? Porra, se é essa a intenção, peguem um filme qualquer do gênero, tipo Grindhouse, Hellraiser, o Massacre da serra elétrica e outros mais tr00, e façam um remake mais honesto. Ora, estamos na geração revival, mesmo... repara, tudo feito antes dos anos 90 está sendo obsessivamente revirado por produtores e empresas em geral; pra quê insultar a inteligência dos jogadores com personagens saídos de clips do David Bowie? A propósito, recomendo uma visita do Videogame lookalikes, cuja premissa é uma teoria difícil de ser refutada: a de que David Bowie está em todos os jogos de videogames. Endosso fortemente esse site... =p
_ Porque será que Fanta Uva é o refrigerante mais abnegado do mercado? Todo mundo bebe, mas ninguém admite. Tipo, o sabor de laranja tem mais gosto de papel com desinfetante do que o de uva propriamente dito. Sob esse argumento, a Cherry Coke devia estar no mercado até hoje. Ela e a Fanta Citrus. Sabor manga? Na boa, os empresários da Coca-cola precisam de gente nova pro seu departamento de marketing...
_ O que o Ocidente pretende com a relutância em reconhecer a independência da Abecásia e da Ossétia do Sul? Sei lá, nem os próprios kosovares recomendam que o mundo veja a independência de seu sofrido país como exemplo a ser seguido. Ou seja, reconhecer essas duas províncias, como o próprio ministro georgiano afirma, talvez não passe de um blefe russo, mesmo. Eles fizeram nhoque com a capital chechena cerca de dez anos atrás e de repente, com a melhor das intenções, viram a bundinha pra duas regiões separatistas que sequer compreendem suas fronteiras? Mais: a independência de Kosovo, almejada pela Europa e pelos EUA, à revelia da ONU, abriu um precedente que ecoa na decisão russa. Algo parecido com o que os americanos gostam de fazer com regiões instáveis, barganhar acordos internacionais desrespeitados em nome de bairrismos heranças da Guerra Fria? É uma cilada, Bino...
_ O Na madruga Fx funciona melhor no fim de noite do que o finado Fxxx. Apesar de estarmos falando do "canal do homem", uma hora cansa ficar mostrando closes softcore e o Ashley se dando mal com a mulherada no Sin cities. Pena que as piadinhas infames dos broxas do man show permanecem. Porra, eles trouxeram até Dexter pra programação! Melhor que isso, só se a Fox assumir que está transformando seu canal principal em canal de mulherzinha cheio de sitcoms com balzacas neuróticas (como se não bastasse o Fox life pra isso) e trazer 24 horas pras noites de segunda... prefiro me manter na esperança; eles foram medíocres o bastante pra trazer o Não perturbe pro Fx. Ou seja, trocaram gato por lebre assim tão facilmente.
_ Family guy é melhor que Simpsons! Estes últimos são ícones dos anos 90 e não pertencem ao início do século XXI, com tantos excessos já banalizados. Por isso que não tenho a menor pressa em assistir o filme da família de Springfield. Se quisesse ver reprises deles, ligava na Fox. Matt Groening é um vendido...
_ Um gênio. Assim defino o candidato à reeleição na prefeitura daqui. Como todo candidato, ele ressaltou as obras realizadas por sua gestão, principalmente as no tocante à revitalização do Centro da cidade. Não satisfeito com isso, ele chamou também pessoas de vários setores da cultura, área na qual investiu maciçamente, para darem seu depoimento. E ainda por cima conseguiu contato com uma certa banda cover do Bob Dylan originária daqui para, de lá de São Paulo onde tentam seguir carreira, por telefone, dar seu apoio ao candidato. Que mala sem alça. Toda aquela grana depositada em bandas ruins na forma de festivais de música independente parecem finalmente terem culminado em seu mais legítimo propósito: cabo eleitoral. Poucas vezes vi um candidato alcançar a juventude de forma tão emblemática e eficaz. E ainda por cima com jovens no cenário dito alternativo, aqueles mesmos que passam a tarde inteira baixando discografia dos Smiths e posando de anarquistas apolíticos que querem mudar o país votando nulo. Praticamente garantiu a reeleição.

sábado, 6 de setembro de 2008

Tô molhadinha...

Outro dia uma amiga achou engraçado o fato de eu ter uma certa tara por meninas de coque (ir ao aeroporto, de certo modo, é uma das melhores partes das férias). Mas tem algo que precede isso: mulher debaixo d'água. Sei lá, devo ter assistido A pequena sereia demais na infância. Por outro lado, odiava quando pasava Splash na Sessão da tarde. Mais pela dublagem do Tom Hanks e pelo jeitão caipira da sereia do que pela historinha água-com-açúcar, claro. E não, não fui ver Aquamarine no cinema, caralho. Mas em relação a coques, ressalto que sou exigente: não pode ser um coque qualquer, daqueles meio caídos, tipo cabelo de hospital. Tem que ser bem rente, alinhado, sem pontas duplas. Uma carinha de matrona completa o conjunto da obra.

Voltando às meninas embaixo d'água, vocês têm que admitir: é o fetiche mais discreto de todos. Você não precisa persuadir a namorada a usar fantasias ridículas (brincar de cosplay é coisa de nerd virgem), ela não precisa entrar no personagem nem usar indumentária cuja eventualidade de alguém encontrar no armário exija uma saída pela tangente. Não, basta um maiô (licença poética pra biquíni), de preferência algo um pouco vintage e voilà. Mais: brincar de médico em locais públicos é muito mais conveniente quando há água envolvida. Putz, até me lembro dum incidente esse ano, mas como tem gente demais conhecida lendo esta bagaça me absterei de comentar. E assim, você, nas conversas mais picantes com os amigos, não irá ruborizar, no auge da hipocrisia, quando rolar de alguém comentar sobre algum fetiche peculiar e calhar de você e a patroa o terem posto em prática. Mas se você por acaso gosta de usar as calcinhas da patroa, ruborizar não é o bastante pra você: fotos suas caírem na net por vingança dela, sim. Desgraça alheia é sempre melhor...

Sem mais delongas, divirtam-se

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Xaveco master 6000

Cantada phantástica que aprendi no programa do Rodrigo Faro, O melhor do Brasil:

_ Oi, você é VHS ou DVD? Várias horas de sexo ou deita, vira e dorme?

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Pílulas

[no aeroporto]
_ Pega. Eles não as deixaram passar com isto aqui.
_ Lixas de unha?
_ Sim.
_ É, o plano delas de render o piloto foi por água abaixo...
_ Agora elas não podem mais desviar a rota pra praia mais próxima.
_ Nem jogar o avião contra o Cristo Redentor...

_ ...aí você vira à esquerda e sobe.
_ Você não odeia gente que, em vez de dizer em que direção você deve ir, generaliza as instruções pra se encontrar um endereço simplesmente dizendo pra subir? Porra, eu estou de carro, e não de aeronave!
_ É mesmo...
[tempos depois]
_ Certo, agora você sobe até encontrar o portão verde.

_ Sou tão loser que até na hora de comprar meu lanche no Subway consigo, ao pegar o refrigerante, errar o sabor: apertei o botão pra Fanta sem querer!
_ Já te contei da vez em que a porta automática do shopping fechou na minha cara?
_ Sim sim...

_ Esse barzinho virou o novo point GLS da cidade.
_ Quando foi que isso aconteceu?
_ Bom, um lugar que toca DVDs de barraquinha, só com músicas oitentistas, ia atrair gente assim mais cedo ou mais tarde.
_ Rapaz, quanta sapata por aqui! Quer que eu te apresente a algumas delas?
_ No, thanks.
_ Tem certeza? Essa sua franjinha à la Patti Smith faria o maior sucesso.
[minutos depois, playboy de carro importado passa tentando se dar bem com uma delas. Elas se agacham pra dar o fora nele; nisso dona do bar passa por nossa mesa e comenta]
_ Nossa, quanta estria...

_ Vamos pro zero [zona localizada numa cidade vizinha]!
_ Se me pedir isso de novo, vou começar a te chamar de Fenômeno.
_ Pela goleada que vocês levaram na pelada hoje?
_ Não, por essa tara sua por pomo de Adão...

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Xuxa é tr00

"Olá, cuiabenses!"
Xuxa, quando veio fazer um show para os baixinhos aqui na cidade, em idos dos anos 90.

Digam o que quiserem sobre a rainha. Mas numa coisa ela tem um mérito indelével hoje em dia: antes de qualquer atriz decadente cogitar fazer um filme pornô em pleno início de século XXI, antes de qualquer ex-gostosa cogitar ser cutucada por alguma estrela das Brasileirinhas, ela já o fazia, antes mesmo de sua carreira atingir o ápice. E com menor de idade que é pra polemizar mais. Quase uma Madonna brasileira, só que com capa na Playboy e sem beijinho em pop stars do mesmo sexo (te cuida, Ivete). Quem diria, dona Maria das Graças Meneghel é precursora da sacanagem na TV brasileira (e antes do estrelato porque ela pode). Antes da Gretchen, antes da Leila Lopes, antes do Kid Bengala. Muito antes de a Luciana Gimenez sequer sonhar em entrevistar gente assim no Superpop, a loira já dava tudo de si na telinha. Um exemplo a ser seguido pelos baixinhos: quer forma mais digna e honesta de levar a vida do que usar o próprio corpo pra ficar famoso? Quer brincadeira mais divertida do que sentir um macho penetrador dentro do si e ter um filho com ele pra disfarçar sua clara homossexualidade? Caraca, essa mulher devia ser nomeada embaixatriz da juventude pela ONU (no voto popular, ela levava fácil). Educação sexual subliminar, fantástico! Já imaginou se ela resolvesse alcunhar seus peitos com o nome de alguma fruta? Ela não só seria precursora das mulheres-fruta como também daria até pra ela usar isso nos seus programas de hoje em dia: a linha editorial 'só para baixinhos' que ela faz hoje em dia, com musiquinha de patinhos e tal, ficaria muito mais divertida assim. Imaginem a cena: um quadro dum programa dela em que ela aponta para um dos peitos (ou uma das nádegas, tanto faz: as possibilidades são interessantes) e pergunta qual o nome da fruta que ela ostenta debaixo do pescoço. Porra, com algo assim passando na TV em minha infância, nunca mais pisaria na escola. Ficaria o dia inteiro ouvindo ela grasnar antes de ela subir na nave. Não é à toa que na época preferia a Mara Maravilha. Preferia uma morena em trajes mínimos vestida de indiazinha do que uma loira pirocada pelo Pelé...