domingo, 29 de fevereiro de 2004

Dia 29 de fevereiro: um dia que surge apenasmente de quatro em quatro anos no Calendário Gregoriano. O primeiro domingo da quaresma. Até parece que o Sersup deixaria essa data em branco pra postar algo. Se bem que isso não é grande coisa.

Ah, o dia de hoje? Bom, falemos disso, já que quero deixar registrado que coloquei algo aqui no raro dia 29 de fevereiro. Mas antes falemos do aniversário do primo S.: ele fez dia 27, na sexta! Dia 27 para o cartório, claro! Mas já imaginaram se os pais dele fossem judeus? Provavelmente teriam registrado o coitado no facultativo dia 29! Ou seja, admitindo que apenas nos dias 29 ele faria aniversário, hoje ele teria apenas cinco anos! E olha que esse primo tem a mesma idade que eu! Será que já aconteceu tal paradoxo em algum cartório desse Brasil cheio de contradições e incoerências? Provavelmente... fico pensando como seria a questão da maioridade para alguém, com a desventura de ter progenitores assim, espíritos-de-porco talvez, que tivesse sido registrado no dia 29: o cara simplesmente atingiria a maioridade aos 72 anos! Ou seja, somente quando o sujeito, que faz aniversário uma vez a cada quatro anos, chegar à terceira idade, é que poderia pedir o carro emprestado ao pai. Isso se o velho ainda estiver vivo, claro. Mais: somente aos 72 anos é que o sujeito poderia sair pras baladas sem levar pé na bunda de segurança por ser menor de idade. E se o cara se tornasse pai? Imagine o tipo de coisa que ele viria a ouvir na rua, ou mesmo dos filhos:

_ Porquê lhe devo respeito? Você tem 12 anos assim como eu!
_ Mas filho, quando eu tinha a sua idade...
_ Quando você tinha? Mas você tem praticamente minha idade agora!

_ Você é responsável por essas crianças? Mas você tem a mesma idade delas! Você não devia estar na escola, não?

[numa blitz]
_ Posso ver seus documentos, senhor?
_ Taqui.
_ Serei forçado a contactar seus responsáveis, senhor. És menor de idade.
_ Mas meus pais já faleceram...
_ Bom, quem cuida de você no momento? Avós, tios?
_ Eu moro sozinho.
_ No ** de quem vou enfiar essa multa, então?

_ Filho, não acha que está na hora de sair de casa, não? Eu e seu pai estamos cansados de sustentar um vagabundo barbudo como você!
_ Mas mãe, tenho só dez anos!


Nossa, como enrolei! Eu iria falar sobre o dia de hoje, certo? Então valos lá! Domingão monótono, pregüiça por parte da mãe justifica nossa ida a um restaurante self-service ("selv-service" como li numa plaquinha na rua, escrita, provavelmente, por um "monstro sagrado" da língua) e uma voltinha à toa no shopping. Voltinha mesmo, pois a monotonia sufocante daquele local decadente me faz me retirar de lá logo após a digestão. Daí pra frente, nada de mais: a caminho de casa, assisto missa com a mãe, enquanto agüento alguns dos ocasionais chiliques dela, e volto pra casa. Diazinho besta, mesmo.


P.S.: é, a montagem do fotolog repercutiu consideravelmente... :P

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2004

Escola de dicção

Regra 1: Um raio cai duas vezes no mesmo lugar?

Se você quer dizer algo, mas alguém começa a falar antes que possam te ouvir, esqueça! O mundo está conspirando para que sejas ignorado! Nem tente se utilizar dos mesmos dizeres numa outra ocasião: dificilmente o resultado será diferente! Mas se realmente fazes questão de proferir suas idéias, prepare-se para encarar olhares e feições alheios fingindo te dar atenção. Em alguns casos, dizer a mesma coisa em ocasião diferente pode dar certo, mas isso se souberes aplicar a regra 2.

Regra 2: Timing e insight rigorosamente alinhados

Se tiverdes uma tirada bacana, uma piada muito boa, ou uma idéia bem elaborada, não dispare-a como a uma rajada de metralhadoras, a esmo: Mire bem seu alvo, certifique-se de seus ouvintes serão captados pelos seus possíveis aforismos, e dispare! Colocar muitos detalhes ajuda a prender (e a enrolar) a atenção alheia. Use e abuse deles. A ausência deles pode deixar sua retórica imperceptível, infelizmente.

Regra 3: O mesmo golpe não funciona duas vezes contra um cavaleiro! (ando assistindo muito Cavaleiros) Errar é humano, persistir no erro...

Ao dizer algo, contenha-se para não se utilizar do mesmo argumento no futuro. Pode até dar certo, repercutir bem, mas ficará mais fácil ser rotulado por usar esse ou aquele bordão! Acredite, as pessoas têm um sexto sentido para te remendarem nas rodas de amigos. A menos que você não se importe com opiniões alheias, com a possibilidade de se tornar repetitivo, ou com rótulos...

Regra 4: Estilo

Todos têm um jeito de se expressarem. Uma pessoa séria se expressando comicamente não deixa de ser uma da possíveis discrepâncias às quais me refiro. Se bem usada, essa discrepância pode tornar mais interessante o que tiverdes a dizer, caso contrário se subentenderá uma ironia. Sempre há um estilo que se encaixa melhor a você. Exercite seu auto-exame e trabalhe-o.


Nosas, se eu continuar postando essas frescuras, poderia até escrever meu próprio livro de auto-ajuda! :P

terça-feira, 10 de fevereiro de 2004

Drops

[de papo-furado com a F.]
_ Eu não agüento mais aquela menina! Preciso de espaço! Quase todo dia me ligando, tentando arranjar programas de índio pra nós dois...
_ Mas que drama do caramba!
_ Não sei se fui feito pra conseguir gostar assim de alguém...
_ Nossa, vou chamar a Academia. Que atuação, que drama!
_ Simplesmente perdi a vontade de encontrar alguém. Não me faz mais sentido me envolver com alguém!
_ Mas está sendo egoísta ao falar assim.
_ Agora que você mencionou isso... há alguns meses atrás, dissera aqui que temia ficar sozinho por me achar um tanto, sei lá, egoísta. Mas agora não temo mais!
_ Auto-análise perfeita! Queres é se manter em seu cantinho. Se pudesses, você viveria numa ilha de independência! Ah, e agora vou te intimar: não deu pra veres o filme semana passada, então verás essa semana! [ela quer porque quer que eu veja um tal de "No amor e na guerra". Vê lá se eu mereço perder meu tempo com romancezinhos meia-boca. Bom, vamos ver o quão me arrependerei de assistí-lo!]
_ Estou bem, na minha. O que me incomoda é marcação cerrada de outrem...
_ Sinto muito, mas continuo não acreditando em você! Você devia patentear sua fórmula para se livrar de tais sentimentos!


[dando carona pro F., o Kung-fu man; quem joga Mugem entendeu a sacada. Hoje é primeira aula da faculdade dele, na Univag]
_ Fui ontem pro parque de diversões [o tal do Ita]. Saí do Kamikaze e fui pingando (?) pro Crazy dance!
_ Da última vez que fui, subi quatro vezes consecutivas no kamikaze [em 99]! Só de raiva do ano passado, que não tinha conseguido subir uma vez sequer...


Nota mental: hoje é aniversário do Ju! Tô pouco me lixando pra tal; eu quero é bolo!
Nota mental II: Hi, hello, test... o MyDoom quer me pegar de jeito!
Nota mental III: um cabeçudo que mora no prédio onde vou treinar é wiccan! Como as aparências me trapaceiam...
Nota mental IV: porque, por Tutatis, tantos blogueiros insistem em postar suas idéias sob fundos amarelos, vermelhos, roxos, pretos? Querem maltratar sadicamente meus olhos, talvez. Desidratá-los até saltarem fora de seus orifícios como a castanhas. E não entro no mérito de falar sobre os posts...

domingo, 8 de fevereiro de 2004

"Acredito que todos nós temos um destino. Mas também acredito que somos fortes o suficiente para fazermos nosso próprio destino. Liberte-se das correntes de um destino ridículo."



Episódio dos Cavaleiros que vi ontem. Ikki rocks!

domingo, 1 de fevereiro de 2004

www.the-underdogs.org




O site mais f*** em Abandonwares. Em vez de perder tempo lendo o BR, façam como o Sersup: entrem lá e entupam seus computadores de joguinhos esquecidos! Achei Scrabble, cara! Scrabble! Agora que eu encalho na cadeira...