terça-feira, 30 de setembro de 2003

Textículo que escrevi numa prova com consulta ontem, na qual fui pego de surpresa, sem livro, sem companheiro de grupo, na maior pindaíba, e que colocarei aqui no BR, por falta de coisas condizentes com a filosofia do blog para postar.





O ensino de um País que não insere seu Povo no contexto sócio-histórico atual obviamente objetiva aliená-lo, torná-lo inerte à sua própria realidade. Um povo que não compreende o significado da Cidadania, que não compreende sua importância em sua própria história, é um Povo desvirtuado, de valores difusos, de educação igualmente frívola e "sloganizadora". Mais importante é, de longe, um Povo que se enxerga como unidade, como participantes do futuro, como sua Pátria, como cidadãos, do que um povo de grande intelectualidade, preso numa bolha de saber, indiferente à sociedade em que vive.

domingo, 21 de setembro de 2003

Dia histórico para a Tv brasileira:

a Justiça vetou a exibição do Domingo Legal! Grande vacilo do Sr. Kuku Liberado! Tentaram isso às dezenas com o Ratinho e o gaúcho cara-de-pau sempre se safou! Azar de principiante na "arte" perdida da baixaria... e justo num dia único desses não fito a Tv para assistir ao raro fato!



O loirinho baitola dos domingos até se rebaixou a pedir desculpas ao vivo na Hebe, no programa do Marcelo Resende, por telefone, mas o estrago era irreversível: todos os patrocinadores estão caindo fora do programa dele, fora os futuros contratos cujo apresentador já perdeu! Dessa Kuku nunca mais se recuperará... agora é só expectativa para que o cara e suas baixarias sejam pulverizadas da Tv! Yes. Como li em reportagem da Veja hoje, "só mesmo machucando artista financeiramente para que alguma atitude seja tomada quanto às baixarias transmitidas pelos mesmos!"

sexta-feira, 19 de setembro de 2003

1º ANO DO COLEGIAL

Enquanto sentado na aula de inglês, eu admirava a garota ao meu lado. Ela era a minha tão chamada "melhor amiga". Eu admirava seu lindo cabelo longo e sedoso, e desejava que ela fosse minha. Mas ela não me via com estes olhos, e eu sabia disso. Depois da aula, ela veio em minha direção e me pediu pelas minhas anotações, pois tinha perdido a aula passada, e eu as entreguei a ela. Ela disse "obrigada" e me deu um beijo na bochecha. Eu queria dizer a ela... eu quero que ela saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos, eu a amo mas sou muito tímido.

2º ANO DO COLEGIAL

O telefone tocou. Do outro lado da linha, era ela. Ela estava em prantos, murmurando continuamente sobre seu coração que fora partido por seu amor. Ela me disse que fosse vê-la porque ela não queria ficar só, então eu fui. Assim que me sentei ao seu lado no sofá, eu me fixei em seu suave olhar, desejando que ela fosse minha. Após duas horas, um filme da Drew Barrymore, e três sacos de salgadinhos, ela decidiu ir dormir. Ela olhou pra mim e disse "obrigada" e me deu um beijo na bochecha. Eu quero dizer a ela...

3º ANO DO COLEGIAL

Na véspera do baile de formatura ela foi até o meu armário. "O meu par está doente", ela disse; e ele não vai melhorar. Eu não tinha companhia, fizemos um pacto que se nenhum de nós tivéssemos companhia para o baile, iríamos juntos como "melhores amigos". Então fomos.

NOITE DO BAILE

Após tudo ter terminado, eu estava em pé, parado, na porta da casa dela! Eu a fitei enquanto ela sorria pra mim e me fitava com seus olhos de cristal. Eu quero que ela seja minha, mas não pensa em mim dessa forma, eu sei disso. Então ela disse "Foi o melhor momento da minha vida, obrigada!" e deu-me um beijo na bochecha. Eu quero dizer a ela, não quero que sejamos apenas amigos.

DIA DA FORMATURA

Um dia passou, depois uma semana, depois um mês. Antes que eu pudesse piscar, era o dia da formatura. Eu olhei enquanto seu corpo perfeito flutuava como um anjo até a plataforma para pegar seu diploma. Eu queria que ela fosse minha, mas ela não me via dessa forma, e eu sabia disso. Antes que todos se dirigissem aos seus lares, ela veio até mim em seu traje de formanda, e chorou enquanto eu a abraçava. Então ela levantou sua cabeça de meu ombro e disse, "Você é meu melhor amigo, obrigada" e deu-me um beijo na bochecha. Eu quero dizer a ela...

ALGUNS ANOS DEPOIS

Agora eu estou sentado no banco da igreja. Aquela garota está se casando agora. Eu a vi dizer "sim" e seguir em frente, rumo a sua nova vida, casada com outro homem. Eu queria que ela fosse minha, mas ela não me via dessa forma, e eu sabia disso. Mas antes que ela partisse, ela veio até mim e disse "Você veio!!!!!!". Ela disse "Obrigada" e beijou-me a bochecha. Eu quero dizer a ela, eu quero que ela saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos, eu a amo mas sou muito tímido, e não sei porquê.

FUNERAL

Anos se passaram, e eu olho para o caixão de uma garota que costumava ser minha "melhor amiga". Na cerimônia, leram a entrada do diário dela, escrito na época do colegial. Isto foi o que leram:

"Eu o admiro desejando que ele fosse meu, mas ele não me vê dessa forma, e eu sei disso. Eu quero dizer a ele, eu quero que ele saiba que não quero que sejamos apenas amigos. Eu o amo, mas sou muito tímida, e não sei o porquê. Eu queria que ele me dissesse que me ama!!!!"



Eu queria também... Eu pensei pra mim, e chorei.




Corrente que encontrei dia desses... *****\*/*/*/*/*/*\*\*\\\\****

quinta-feira, 18 de setembro de 2003

Leia com atenção... ou melhor, com "aetçnão"!

Já percbeeram que não ipomrta em qaul odrem as lertas de uma plarava etãso? Na vdaerde, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma toatl bçguana que vcoê pdoe anida ler sem pobrlmea. Itso é poqrue nós não lmeos cdaa lrtea isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo. Incríevl!



__________

Essa dscboreta ftiea pro ctastnieis ignelses -- ou btaoo -- etsá se ephlasadno ftieo pgara na web!
Aheci crosiuo e cqoueloi auqi no bolg!

quarta-feira, 17 de setembro de 2003

Procurando imagens na web, descobri alguns trabalhos de um artista muito curioso: o Michael Parkes. No site há 29 de seus trabalhos numa edição limitada. São imagens de temática greco-egípcia, com tons renascentistas, muitas vezes pastéis, lembrando muito vagamente o rococó. Cliquem aqui para conferir o trabalho do cara!



Poderia citar o trabalho de algum artista com o nome já registrado na história através de algum movimento artístico, mas aí me lembrei da aura aristocrática da Arte e repudiei a idéia. É como um artista porcaria que fica famoso na mídia enquanto vários outros gênios ficam no ostracismo. Os artistas do futuro não podem transformar a Arte numa "coluna social" onde o que vale são nomes e termos, e não o talento e a sagacidade do artista. A Arte não se limita ao que lemos nos livros de História, mas não é assim que as pessoas que financiam os MinC do País pensam...

terça-feira, 16 de setembro de 2003

Meu cabelo está tão ridículo que está parecido com o do Jack Nicholson em Tratamento de choque! Tem uns tufos na orelha apontando pra cima, meio que parecendo uns chifrezinhos, assim como o cabelo do personagem do Jack. Muito louco! Recordemos, de posts, anteriores, com o quê meu cabelo já pareceu:

_ Jack Nicholson

_ Chris Martin, do Coldplay, quando deixei barba por fazer.

_ Pêssego gigante (quando passei máquina 3)


Amanhã é urgente eu cortar minhas rebeldes melenas! Tentei fazer uma aposta com o irmão para passarmos máquina juntos e ver quem conseguira deixar crescer por mais tempo, mas ele ficou com moagem por causa da mina com quem ele tá com rolo. Preciso arranjar algum desocupado que queira fazer essa aposta comigo!

segunda-feira, 8 de setembro de 2003

Será que o mal só existe no homem? Porque dogma algum inclina as pessoas ao caos, à perdição; essas coisas acontecem justamente por nos desviarmos do caminho de retidão pregado pelos dogmas. É como se dogmas, religiões, fossem uma eterna mitologia reverenciada pelas pessoas na busca de uma explicação não-científica para o existir das coisas. Certa vez li que o mal é a ausência do bem. Isso me passou meio sem sentido por um bom tempo, mas faz mais sentido agora: perder-se em cegas trivialidades egoístas é bem mais fácil do que se conhecer o suficiente para evitar dissipações desnecessárias. Ou seja, o mal está no que fazemos a partir do momento em que ignoramos a integração das coisas ao nosso redor.



É como se o homem estivesse tentando, em vão, se equivaler a Deus tentando seguir um caminho de retidão absoluta. Esse mundo não foi feito para tal; várias coisas culminam para o pecado; as tentações estão no canto dos olhos; a ambigüidade da vida desorienta facilmente as pessoas. Não precisamos tentar nos equivaler a autoridades divinas quanto a preceitos de uma vida reta; precisamos é nos encontrar. O primeiro passo para nos encontrarmos é descobrirmos nosso conceito de bem: o que nos dá razão de sermos o que somos e querermos melhorar. Porque a vontade de fazer e ser mais está sempre se respingando nas pessoas a nosso redor.



Será que esse mundo não fora feito por forças maiores justamente para isso, para que as almas possam experimentar algumas tentações antes de subirem na integridade dos céus? Eu disse algumas! Sabe como é, tipo uma experiência anterior antes de ser empregado no andar de cima...? Posso não estar muito longe disso! No caso, eles precisariam de uma "experiência anterior" para averiguarem a filosofia de vida, a integridade, a pureza, dentre várias outras nuances, do espírito. Isto é, se considerares que existe reencarnação. Muito embora tenhamos de crer que seria um desperdício muito grande nós, simples e unicamente, falecermos e fim de papo!



O papo tá meio metafísico, mas de vez em quando eu tenho essas filosofadas...

Como eu vivia sem Youtube...?

Como queria ter gravado o Domingão do Gordão ontem, cara! Um daqueles momentos crássicos da Tv brasileira que sensacionalismo algum se equipara. Melhor que esse podre da Tv só aquela transa do Bbb2! Saca só o que rolou ontem, enquanto a mãe assistia Tv:


_ Bom, agora vou tocar a faixa 2. Essa é tipo um rasqueado cuiabano, sabe?
_ Rasqueado? Noossa... vejamos a faixa! Tocaê maestro!
_ ...
_ Como assim, não têm o Cd? Toquem pelo menos o single!
_ ...
_ O quê? A gravadora mandou a caixa do Cd sem Cd dentro? Mas que blasfêmia! Numa boa, Leo: devias pensar seriamente em mudar de gravadora... qual a sua gravadora atual?
_ Bmg.
_ Devias pensar seriamente em rescindir seu contrato com a Bmg. Há quanto tempo estás lá?
_ Desde 98. Tô lá uns cinco anos.
_ Mas que falta de respeito, de compromisso com o cantor, com o público, cara.
[Leo até se distancia do gordo impertinente]
_ Vocês sabem que não poupo esforços para divulgar o trabalho dos artistas brasileiros, que sempre mostro o Cd para que o público conheça o trabalho do caipira que toca aqui, mas gravadora vir pra cima de mim com descaso eu não posso aceitar! Esses Cds porcaria já são tão caros e ainda fazem isso com a gente? Talvez não tenha sobrado um Cdzinho sequer pra divulgação, dos 500 mil que a gravadora manda gravar na fábrica! Aiai... bom, Leo, toca uma bobagem qualquer do seu acervo antigo nesse meio-tempo!
[Leo canta um de seus crássicos bregas]
_ Cês vão ver só: até o fim do programa trago o dono da gravadora aqui! Bom, no momento vamos começar o Arquivo confidencial (um quadro onde se devassa a vida particular do artístia através de entrevistas com pessoas próximas ao artístia).
_ Como o Leo dirige?
_ Ah... pra ser sincero? O cara deve ser o pior motorista do Brasil!
_ A mãe dele deve ter dito isso quando a peguei na zona...
_ Já aconteceu de, de repente, numa passada de camarim, ter visto alguma parte do corpo do Leo que gostastes mais?
_ Ah, sei lá: as coxas dele são bonitas!
_ Claro, pô! Perguntou pra sua mãe, não?
_ Se tem uma pessoa de quem ele morre de medo é o Produtor: ele costuma aparecer só pra dar as notícias ruins...
[depois de destruir publicamente a gravadora do Leo, um executivo da Bmg aparece para fazer a devida retificação quanto ao marketing negativo feito pelo gordo. E assim acaba o acesso de fúria do obeso apresentador!]
_ Pois é, né, acabei tirando o Fulano aqui do almoço de domingo, por causa dessas inconveniências... mas temos de respeitar o trabalho do artístia, não podemos deixá-lo numa saia justa como o que rolou hoje!



Essa aqui ouvi (e vi) no Gordo a go-go, que reprisou ontem: sim, Tv no fim-de-noite no domingo é de última! Literalmente...


_ E quanto àquela cena em que passas a gilete em seus pêlos pubianos naquele ensaio de 95?
_ Até hoje não entendo a polêmica que a cena causa! Algo tão natural...
_ Sei lá, cara! É até recomendado passar a gilete, pois acaba parecendo velcro na hora do entra-e-sai, sabe? Bem incômodo!
[intervalo]
_ Pô Ludmila, apresentastes um programa de sexo aqu na Mtv, o Erotica. Tapastes o buraco deixado pela Babi, certo?
_ Sim, mas não entrei só pra substituí-la. Entrei mais pela experiência. Afinal de contas, sou atriz, não apresentadora.
_ Sendo apresentadora de um programa desses, é preciso um certo jogo de cintura pras perguntas mais picantes, não?
_ Bom, na maioria dos casos são perguntas bem bobinhas, triviais.
_ Qual a sua posição seuxal favorita?
_ Ah, não falo sobre minha vida pessoal!
_ Pelo nariz, deve ser a motoneta!
_ Mas que raios é isso? Eu não ouvi isso!
_ [desabando-se de rir] Você já... esqueci a pergunta, caralho! [debate-se na mesa tentando conter o riso]



Colaborações, erros e omissões serão bem-vindas nos Comentários, pois me falha a memória em alguns pontos.

quarta-feira, 3 de setembro de 2003

O episódio de amanhã dos Cavaleiros não perco por nada! Até chegarei meia hora atrasado no CDI de novo por causa dele: o Seiya vai descer a porrada no Shiryu, aquele mano de armadura verde que a ganhou invertendo o curso de uma cachoeira. Sim, as viagens da Física que vejo nos episódios dos Cavaleiros são mesmo risíveis... como aquela em que a mãe do Hyoga está congelada dentro de um cubo de gelo gigante, descansando nas gélidas águas da Sibéria.

Tudo bem que os primeiros episódios foram estranhamente elaborados mostrando cavaleiros com quem Seiya conhecerá somente mais tarde, mas é que nesses primeiros episódios não faz muito sentido exibí-los. E pensar que ainda faltam umas dezenas de episódios para a Batalha das Doze Casas... bem, fazer o quê? O Toonami é um lixo; só mesmo os Cavaleiros salvam aquele bloco de desenhos de ação furado!

segunda-feira, 1 de setembro de 2003

Momento flashback de hoje: assistir o primeiro episódio dos Cavaleiros. Tarefa obrigatória do dia! Cheguei meia hora no CDI da CUNIC atrasado por causa do episódio, mas valeu a pena ver Seiya partir a orelha de Cassius e, em seguida, quase quebrar sua costela num incisivo Me dê a sua força Pégasus! Clássico...

E o melhor de tudo: tudo original! Apresentação sem cortes, episódios idem, tela de créditos até então inédita no Brasil (era constantemente vetada pela Manchete)... virou obrigação do dia! Tão obrigação que até me sujeitarei a aturar Inu yasha, que vem antes!



Concentrando toda energia do cosmos em cada célula de seu corpo para se prover de força sobrehumana...